Mundo

Caso-Duarte Lima: Advogado nega “especulações” e fala em “interesses chocantes”

Depois de notícias do semanário Sol – segundo os quais a polícia brasileira tem “fortes indícios” de que Duarte Lima terá estado envolvido na morte de Rosalina Ribeiro – o advogado do ex-deputado reage: “Este caso serve interesses conhecidos em Portugal, que tornam o episódio ainda mais chocante”.

Duarte Lima “continuará em silêncio” e no momento certo irá pedir “contas aos responsáveis por estas calúnias”.

O caso da morte de Rosalina Ribeiro voltou à atualidade, depois de o Sol ter publicado notícias acusadoras. Segundo o semanário, a polícia do Brasil encontrou sinais de que o ex-deputado do PSD terá prestado depoimentos contraditórios.

Esses “fortes indícios” estão relacionados com “multas por excesso de velocidade” no carro que Duarte Lima alugou, para transportar a vítima precisamente na noite em que acabou por ser assassinada.

Os indícios de que fala o Sol estão relacionados com o facto de “o carro de Duarte Lima” ter estado “no local do crime, na véspera”. Ainda segundo o jornal, o automóvel que Duarte Lima alugou terá sido entregue “sem o tapete” do lugar onde alegadamente foi transportada a vítima.

Outras informações indicam que Duarte Lima “pediu à empresa alugadora fatura do aluguer”, para juntar à declaração de rendimentos, apesar de ter dito antes que “não sabia” onde alugara o carro.

“Campanha de difamação”

Segundo o advogado de Duarte Lima, João Costa Ribeiro Filho, estas informação “não trazem nada de novo” ao processo e baseiam-se em “pura especulação”. O causídico diz ainda, em numa nota enviada à Lusa, que “as provas dos autos inocentam” o seu cliente.

Ribeiro Filho lembra ainda que não há pronunciamento por parte da justiça ou Ministério Público e que estamos perante uma “manipulação vergonhosa e obscena” de informações suscitadas por fontes não identificadas.

Este caso de alegadas provas que surgiram e que a polícia terá “serve interesses conhecidos em Portugal”, o que, segundo Ribeiro Filho, “torna o episódio ainda mais chocante”.

Duarte Lima “continuará em silêncio” e no momento certo irá pedir “contas aos responsáveis por estas calúnias”. O português foi a última pessoa que estabeleceu contacto com a milionária Rosalina Ribeiro, assassinada em 2009.

Mais partilhadas da semana

Subir