Sociedade

Caso-Carlos Castro: Mãe de Renato Seabra sem dinheiro e “perdida”

renato_seabra3A mãe de Renato Seabra enfrenta graves problemas financeiros e não tem dinheiro para pagar as custas judiciais. no próximo sábado, decorre um jantar de caridade. Odília Pereirinha “anda perdida na cidade de Nova Iorque”, refere um grupo de mães, organizador desta ação de angariação de fundos.

São sete pessoas que se intitulam “mães anónimas” luso-americanas. Pretendem ajudar Odília Pereirinha, mãe de Renato Seabra. No próximo sábado, decorre um jantar cuja finalidade é angariar fundos que serão entregues à mãe do modelo, para que possa pagar as custas judiciais.

O jovem encontra-se detido, acusado da morte do colunista Carlos Castro. Odília Pereirinha anda aqui perdida em Nova Iorque. Apenas conhece o trajeto para Hospital Bellevue, para a prisão de Rikers Island, onde o Renato está preso, ou para Nova Jérsia, local onde está albergada”, referem à agência Lusa estas mães.

Um dos elementos deste grupo acusa ainda o Estado e o Consulado de “não dar a mão a Odília Pereirinha”. Nesse sentido, surge este jantar de caridade, para minimizar os problemas financeiros da mãe de Renato Seabra.

O advogado de defesa do modelo, David Touger, tem perfeita noção da incapacidade financeira de Odília em suportar as despesas judiciais do processo. A mãe de Renato Seabra teve de se ausentar do emprego em Portugal e vive longas temporadas numa cidade com um custo de vida elevado.

Esta não é, no entanto, a primeira ação de angariação de fundo que é realizada em favor de Odília Pereirinha. Recentemente, decorreu uma venda de produtos, que não foi bem sucedida, já que as verbas conseguidas ficaram aquém das expetativas. Há algumas semanas, tentaram organizar um jantar, com o mesmo objetivo, mas sem sucesso.

O jantar que agora realizam decorrerá no próximo sábado, a partir das 19h00, no restaurante ‘Galitos’. A sala tem capacidade para 120 pessoas, mas não é crível que encha.

Renato Seabra está a acusado pelos crime de homicídio de segundo grau, pela morte de Carlos Castro, no dia 7 de janeiro, num hotel em Manhattan. O caso deve chegar aos tribunais no início de 2012.

Mais partilhadas da semana

Subir