Sociedade

Carros da GNR pagam portagem para vigiar pórticos das scut do Algarve

gnrA Guarda Nacional Republicana (GNR) vigiará em permanência os pórticos de cobrança de portagem nas scut algarvias, o que gerou mal-estar nos agentes daquela força de segurança. Além de terem de pagar portagem, os agentes entendem que estão a prestar um serviço a uma concessionária da A22. O reforço policial na Via do Infante já levou à colocação de um agente em cada pórtico.

Já arrancou o patrulhamento da GNR na A22, onde ocorreram episódios de vandalismo e destruição de sistemas de cobrança automática, nos últimos dias. Nesta quinta-feira, todos os pórticos estavam a ser vigiados por agentes.

No entanto, esta ação não é pacífica e gerou mal-estar nos agentes da força de segurança, uma vez que a Via do Infante tem uma concessionária, a quem, segundo os próprios, deveria caber a responsabilidade de zelar pelos sistemas. O Comando Distrital da GNR recebeu ordens do Ministério da Administração Interna, para realizar esta intervenção.

Os agentes desta força de segurança foram posteriormente chamados pelo comandante-geral da GNR, porque está em causa a segurança pública e não apenas a proteção de um equipamento concessionado. Recorde-se, aliás, que um funcionário da concessionária foi ferido, na Guia, na A22, em consequência dos atos de vandalismo – incêndios e tiros de caçadeira.

Por outro lado, os carros da GNR terão de pagar portagem para fazer o serviço. Não ficou esclarecido se esse pagamento será restituído, nem houve garantias de que essa despesa – diversas viagens diárias na autoestrada, já que os militares de elite da Unidade de Intervenção ficarão em permanência em todos os pórticos, divididos por três turnos.

No total, foram destacados para a missão 60 militares, alguns dos quais protegidos com coletes antibalas. Nos pórticos de portagem com risco elevado, estarão apoiados por uma viatura.

Esta medida de precaução surge em resultado de um fenómeno que ocorreu no Algarve, recentemente: o roubo em massa de matrículas, que as autoridades suspeitam que tenham como finalidade a sua utilização em ações de protesto violentas, como as que ocorreram nos últimos dias, no Algarve, desde que vigorou a cobrança de portagens nas scut da Via do Infante.

Mais partilhadas da semana

Subir