Saúde

Cancro de mama: Consumir álcool à refeição aumenta risco em 51 por cento

cancro-da-mama1Estudo indica que o consumo de álcool e a incidência de cancro da mama apresentam uma relação direta. As mulheres que beberem vinho às refeições veem os riscos aumentar 51 por cento. As que beberem três a seis copos por semana enfrentam um perigo 15 por cento superior. A pesquisa contou com a participação de quase 106 mil mulheres, acompanhadas entre 1980 e 2008.

As probabilidades de incidência do cancro da mama aumentam significativamente com o consumo de álcool, mesmo que esse consumo seja reduzido: um copo de vinho a cada dois dias que passam. Esta é a principal conclusão de uma pesquisa que acompanhou mulheres ao longo de quase três décadas.

O estudo, publicado nesta quarta-feira no Journal of the American Medical Association, estabelece uma relação direta entre a abstinência alcoólica, o consumo do vinho e a incidência deste tipo de cancro. E essa relação varia entre os 15 por cento nas mulheres que bebem com pouca frequência (entre três a seis copos por dia) e 51 por cento nas que consomem às refeições (dois copos por dia).

Nesta pesquisa, que contou com a participação de 105 986 mulheres, monitorizadas desde 1980 e até 2008, concluiu-se também que aquelas que consomem entre os 18 e os 40 anos veem agravado o risco de cancro da mama. E mesmo que deixem de beber depois dos 40 anos de idade, não verão diminuído esse perigo.

Os investigadores constataram igualmente que consumir álcool entre os 18 e os 40 anos aumenta o risco de cancro mamário. O risco persistirá mesmo que as mulheres reduzam o consumo de bebidas alcoólicas após os 40 anos. Por outro lado, não há um período da vida da mulher em que o álcool seja inofensivo.

Apesar de não ser quantificável neste trabalho hoje tornado público, verifica-se um agravamento do perigo de cancro mamário nas mulheres que enfrentem o problema do alcoolismo. “Estamos perante um estudo de observação, pelo que não é possível apontar conclusões definitivas sobre a relação causa e efeito”, sustenta Wendy Chen, do Hospital Brigham and Women (Boston, EUA).
Também não foi possível aos investigadores justificar, com total garantia, quais os motivos desta relação entre consumo de álcool e desenvolvimento do cancro da mama. Os autores da pesquisa consideram, no entanto, que os níveis de estrogénio que circulam no sangue podem ser afetados pela ingestão de vinho.Desde 1980 e até 2008, foram detetados 7690 cancros mamários.

Mais partilhadas da semana

Subir