Mundo

Bullying: “Venham ao funeral da minha filha para verem o que fizeram”

Amy Everett, de 14 anos, não resistiu ao bullying e tirou a própria vida. Dirigindo-se aos agressores, o pai da adolescente deixou um alerta para o problema: “Venham ao funeral para verem o que fizeram”.

Conhecida como ‘Dolly’, a menina australiana era a cara de uma marca de chapéus.

O pai enlutado, Tick Everett, recorreu às redes sociais para homenagear a filha e alertar a sociedade sobre o problema do bullying.

“Se, por acaso, as pessoas que se divertiram e se sentiram superiores com o bullying e assédio constantes lerem isto, por favor, venham ao funeral e testemunhem a completa destruição que causaram”.

“Esta semana foi um exemplo de como as redes sociais devem ser usadas, mas também de como não devem ser usadas. Se pudermos evitar que se percam outras vidas preciosas e o desgosto de tantos, então a vida da Dolly não foi desperdiçada”, reforçou.

“Eu sei que muitos pensam que o suicídio é a resposta mais cobarde, mas garanto a essas pessoas que não têm metade da força que a minha anjinha tinha, a força que teve para fazer o que entendeu que precisava de fazer para escapar à maldade deste mundo”.

Em memória de Amy Everett, a família pretende agora criar uma campanha de consciencialização para o bullying e problemas semelhantes.

Receba esta e outras notícias virais no seu e-mail todos os dias!


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: