Sociedade

Bebé que nasce com malformações gera investigação do Ministério Público

ecografiaO Ministério Público abriu um processo para analisar o caso de um bebé que nasceu com problemas físicos e mentais. Alegada negligência no acompanhamento pré-natal (ausência de uma ecografia morfológica) terá levado a que as malformações só fossem detetadas às 38 semanas. O bebé nasceu fruto de uma cesariana de urgência, sem queixo.

Uma criança da Amadora nasceu sem queixo e com outros problemas de saúde psíquicos, malformações que não foram detetadas pelo obstetra, através de ecografias morfológicas. Só às 38 semanas, no Centro de Saúde da Amadora, foram realizadas as ecografias morfológicas, que permitiram perceber a gravidade do problema.

Foi realizada de imediato uma cesariana, no Hospital Amadora-Sintra, mas já com a certeza de que o bebé nasceria com problemas graves, físicos e psíquicos. O Ministério Público já mandou abrir um processo para determinar as causas do problema.

A mãe garante que, durante o período de gestação do feto, nunca foi aconselhada a realizar qualquer ecografia morfológica, normalmente feita às 22 semanas, com o objetivo de analisar a estrutura fetal, para determinar eventuais malformações no feto.

Em declarações à agência Lusa, a mãe revela que as ecografias “eram feitas em minutos”. O Centro de Saúde da Amadora tem um protocolo com um centro de imagiologia local.

Mais partilhadas da semana

Subir