Nacional

Beauté justifica divórcio de Luís Borges: “Sentia-me manipulado e humilhado”

Um ano depois, Eduardo Beauté escreveu um longo desabafo sobre os motivos que levaram ao divórcio de Luís Borges. O cabeleireiro acusa o ex-marido de violência psicológica. “Vivia em ilusão e resignação”, revelou: “Sentia-me manipulado e humilhado”.

“Eu apresentava, à data, um estado muito depressivo, por estar sob violência psicológica do meu cônjuge e por estar emocionalmente associado a episódios da infância e adolescência que me foram traumáticos e que ainda me condicionavam no meu bem-estar”, começou por explicar.

“Eu estava a viver uma relação conjugal muito perturbadora e violenta psicologicamente”, revelou Eduardo Beauté: “Sentia-me manipulado e humilhado pelo meu cônjuge, tendo já tido internamentos psiquiátricos por exaustão emocional motivada pelos citados conflitos”.

“Os diferentes interesses podem ter sido causa da incompatibilidade e violência”, continuou: “Eu vivia em ilusão e resignação, pois sentia-me muito apaixonado pelo meu parceiro, acreditei e esperava que a relação fosse para a vida, tendo até adotado os nossos filhos, como sinal da vontade em construir uma família sólida. Desde a morte do meu filho biológico, desenvolvi uma necessidade e vontade enorme em criar uma família, no entanto, a relação que escolhi para o fazer tornou-se tóxica, tendo aberto um fosso emocional enorme”.

Admitindo “sofrimento e dúvidas” desde que pediu o divórcio, “no final do ano de 2016”, Eduardo Beauté lembrou ainda um vídeo que protagonizou num polémico pedido de ajuda: “Reconheci de imediato que fiz mal ao me ter exposto num momento de maior mágoa, fragilidade e tristeza. Vejo os meus altos e baixos como normais para quem enfrenta as mesmas circunstâncias de uma desilusão amorosa e de uma manipulação emocional intensa como foi neste caso”.

“Ciente das minhas dificuldades, procurei ajuda de psicoterapia”, acrescentou: “Foi a partir desse momento que passei a reencontrar-me, dissociado dos traumas da infância e da adolescência”.

“Em relação aos nossos filhos, por quem nutro um amor paternal e honesto, fazendo de tudo para criar todas as condições para que os meninos se sintam bem, apesar das dúvidas que tenho sobre qual a melhor forma de abordar o tema do afastamento do meu ex-cônjuge perante os filhos”, concluiu Beauté: “Não posso negar que atravessei um período difícil na minha vida, mas não posso dizer que estive pior que todos os que passam por experiências semelhantes”.

Mais partilhadas da semana

Subir