Economia

Banco Central Europeu considera “notável” execução do programa de ajustamento português

peter_praetPeter Praet, membro do comité executivo do BCE, classificou hoje, numa conferência em Lisboa, de “notável” o processo de implementação do programa da troika em Portugal. O responsável europeu juntou-se assim a Mario Draghi que, também hoje, considerou que seria um “retrocesso” o prolongamento dos prazos do programa.

Respondendo aos jornalistas à margem de uma conferência realizada em Lisboa, Peter Praet salientou que o programa de ajustamento está a “decorrer como o previsto, apesar das enormes dificuldades relacionadas com a conjuntura internacional”.

O responsável europeu referiu que, apesar do esforço, o desempenho da economia portuguesa pode ser afetado pela crise da dívida poespanhola, país para onde Portugal exporta mais de ¼ dos seus produtos. “Portugal depende muito dos países vizinhos, especialmente de Espanha e a forma como a economia espanhola vai ajustar o seu setor financeiro será importante para Portugal”, admitiu.

Em relação ao sistema bancário português Praet admitiu ainda que, apesar de existir “uma grande pressão” sobre os bancos, estas instituições “estão a ajustar-se.”

Estas palavras vão, assim, ao encontro do que Mario Draghi afirmou hoje, em Bruxelas, no âmbito da Comissão de Assuntos Económicos do Parlamento. Em resposta a uma questão colocada pela eurodeputada socialista Elisa Ferreira, o presidente do Banco Central Europeu considerou que “voltar atrás e folgar o programa” seria um “retrocesso” que enervaria ainda mais os mercados.

“Como acha que os mercados reagiriam ao que seria considerado um retrocesso?”, questionou.

Mais partilhadas da semana

Subir