Ciência

Aumentam os níveis de poluição com plástico no Ártico

Um dos grandes problemas a nível da poluição dos oceanos é a quantidade plástico e lixo, que acabam por ameaçar o ambiente e os ecossistemas de forma irreversível. O oceano Ártico é aquele que concentra as maiores quantidades de plástico, lixo que é produzido em locais longínquos e que são transportados por uma corrente oceânica.

Esta é a conclusão da investigação que foi divulgada pela ‘American Association for the Advancement of Science’, publicada na revista ‘Science’. A partir deste estudo, os investigadores transmitiram preocupação sobre os efeitos da poluição nos ecossistemas árticos.

Os cientistas procederam a uma recolha de plástico na superfície, pelo que estimam que estejam centenas de toneladas de plástico a flutuar no Oceano Ártico, considerando que a quantidade de lixo que está no fundo do mar seja ainda maior.

Os investigadores seguiram o trajeto do plástico, desde o Atlântico norte até ao Oceano Ártico, com a ajuda de uma rede de 17 mil bóias com sensores que transmitem dados via satélite. Assim, conseguiram confirmar que a poluição dirige-se para norte através da “circulação termossalina”, uma corrente conhecida como o “tapete rolante oceânico”, responsável pela circulação de grandes massas de água temperada para o norte, regulando o clima global.

Nas amostras recolhidas, a proporção de plástico encontrado veio confirmar que os detritos “viajaram de fontes distantes, incluindo das costas noroeste da Europa, do Reino Unido e da costa leste dos EUA”, muitas vezes relacionadas com a atividade marítima.

Os cientistas alertam que os efeitos potenciais deste tipo de poluição nos ecossistemas frágeis do Ártico “são especialmente preocupantes”.

Receba esta e outras notícias virais no seu e-mail todos os dias!


Vídeos em Destaque

Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir