Política

Assis teme que Cavaco Silva seja um “aliado doutrinário” que “subalternize” o PS

francisco_assisO candidato derrotado nas eleições internas do PS, Francisco Assis, lança uma crítica ao partido, que poderá ficar “subalternizado”, com “colagem excessiva” às ideias de Cavaco Silva. Assis não quer que se “caia na tentação de pensar” que o Presidente da República é “um aliado ideológico e doutrinário do PS”.

Segundo Francisco Assis, a liderança de António José Seguro está a aproximar o Partido Socialista das ideias de Cavaco Silva, o que colocará o partido numa posição “subalterna”, com prejuízo para o papel do PS, como oposição ao Governo.

Em declarações à agência Lusa e num artigo de opinião divulgado no jornal Público, o ex-líder parlamentar socialista – que foi candidato à liderança do partido, sendo derrotado por António José Seguro – manifesta preocupação pela “colagem excessiva” entre PS e Cavaco Silva.

Francisco Assis manifesta compreensão pela “apreciação positiva” das preocupações manifestadas pelo chefe de Estado. No entanto, defende, é “essencial que não se caia na tentação de pensar que há no Palácio de Belém um aliado ideológico e doutrinário” dos socialistas.

Para Assis – que apelidou Cavaco Silva de “tecnocrata competente” –, “não é correto” pensar-se que existe “um Governo liberal e uma frente social-democrata que começa em Belém e que envolve uma parte substancial da esquerda portuguesa”.

 

Mais partilhadas da semana

Subir