Economia

“As coisas estão muito melhores mas não há razões para celebrar”, avisa ex-ministra de Passos

Maria Luís Albuquerque, antiga ministra das Finanças no Governo de Passos Coelho, admitiu que a situação económica portuguesa está “muito melhor” mas avisa que “não há razões para celebrar”.

A antiga governante entende que a economia portuguesa corre riscos, uma vez que “parece que não conseguimos manter o espírito reformista após a crise”.

“Assim que vemos bons resultados relaxamos”, salientou a ex-ministra, em declarações numa conferência, em Cascais.

Maria Luís Albuquerque admite, de resto, que na comparação com outras economias europeias, a portuguesa segue a um ritmo mais lento.

“Na Europa, países da nossa dimensão, tendo passado pelas mesmas dificuldades estão a crescer mais. Não acho que estejamos a convergir com a Europa.”

“Não há razões para celebrar”

Por isso, a antiga ministra, embora reconheça que a situação atual está “melhor” não entre em euforias.

“As coisas estão hoje muito melhores quando comparamos com os últimos anos, mas não há razões para celebrar, é preciso olhar para o futuro com muita cautela”, sublinhou, em declarações recolhidas pelo Dinheiro Vivo.

Maria Luís Albuquerque salientou ainda que Mário Centeno deverá “prosseguir com as reformas que foram interrompidas”, pedindo que sejam dados sinais “positivos aos investidores”.

As declarações da antiga ministra das Finanças foram feitas no dia em que o primeiro-ministro, António Costa, revelou que o défice, no ano passado, “ficou perto de 1,1 por cento”.

Mais partilhadas da semana

Subir