Crónicas

Armadilha?

«Uma das confusões vulgares da humanidade é considerar os fins como meios e os meios como fins.»

Baltazar Gracían

É difícil perceber, se o tribunal constitucional tinha declarado a realização do referendo à independência na Catalunha, porque razão o governo de Madrid decidiu marcar uma posição de força.

O governo de Madrid partiu da premissa que os independentistas ganhariam o referendo.

O que considerando a natureza humana poderia não acontecer. O ser humano tende a evitar mudanças drásticas que gerem incerteza. Além de que Espanha teria o argumento de que a Catalunha independente não poderia ser membro da União Europeia, como trunfo.

Os independentistas catalães não tinham conseguido uma onda de apoio como aquela que as decisões do governo de Madrid conseguiu.

Muitos catalães,mesmo os que não a favor da independência sentiram-se agredidos com o facto de Madrid não os deixar expressar a sua vontade. Passou a ser uma questão de nós contra eles. E a decisão de enviar policia para evitar a realização do referendo, fez lembrar tempos não muito distante.

O que teria acontecido caso Madrid tivesse optado por uma abordagem mais subtil, como fizeram os britânicos com a Escócia, nunca ninguém saberá mas a probabilidade de que teria menos impacto que a consequências da escolha feita.

Resumindo, as posições estão extremadas, a situação ganhou destaque a nível mundial e uma solução parece distante…


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: