Nas Notícias

André Ventura mantém opinião: Castração química para pedófilos

Já passou mais de um ano, mas André Ventura mantém a mesma opinião sobre o castigo a aplicar aos pedófilos. Confrontado com a ideia que partilhou num artigo de opinião, o agora candidato do PSD à Câmara de Loures repetiu que continua a defender a “castração química de abusadores”.

A opinião é do verão de 2016, quando publicou um artigo de opinião no Correio da Manhã. O jornal I encontrou essa afirmação e interrogou se o atual candidato autárquico mantém a opinião expressa quando era colunista.

André Ventura defende “a castração química dos pedófilos que rejeitem qualquer tipo de tratamento ou terapia durante o cumprimento da pena” e uma classificação de “perigosos no momento do regresso à liberdade”.

Na base desta opinião estão as estatísticas provenientes do outro lado do Atlântico. “A taxa de reincidência” nos EUA “passou de 75 para apenas dois por cento”, sustentou o dirigente nacional do PSD.

Confrontado pelo I com a opinião expressa no artigo, há pouco mais de um ano, o candidato do PSD a Loures não mudou uma vírgula.

“Estamos a falar de um crime com altíssimos níveis de reincidência e para o qual continuamos a olhar com enorme desdém, negligenciando a proteção da vida e da integridade sexual e moral das nossas crianças. Só por falta de políticos corajosos não temos ainda a castração química em Portugal”, defendeu André Ventura.

O candidato diz ainda que a castração química “pode ser plenamente aplicada em respeito da dignidade da pessoa humana e dos valores constitucionais, desde que seja orientada por critérios médicos que avaliem a perigosidade e os impulsos sexuais dos indivíduos em causa”.


Patrocinado

Apps PT Jornal

Descarregar na App StoreDescarregar do Google Play

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir