Cultura

Amy Winehouse: Causa da morte foi intoxicação alcoólica, revela inquérito

amy_winehouse4Intoxicação alcoólica foi a causa de morte de Amy Winehouse, determinada hoje, graças a um inquérito oficial, que surgiu após uma autópsia e exames toxicológicos inconclusivos. Com 4,16 gramas de álcool por litro de sangue, Amy entrou num processo de coma e morreu. Segundo o relatório concluído hoje, em Londres, fica confirmada a teoria de que a britânica esteve cerca de três semanas em total abstinência.

Amy Winehouse foi vítima do consumo de álcool, depois de três semanas de abstinência de bebidas alcoólicas. Na noite em que viria a morrer, a cantora, de 27 anos, consumiu bebidas alcoólicas em excesso, o que provocou um coma profundo e a morte.

Foram detetados 4,16 gramas de álcool por litro de sangue, o que indicia que Amy bebeu de forma reiterada, colocando termo a um período em que não consumiu bebidas, revela ainda este inquérito oficial, que ficou concluído hoje e foi divulgado, em Londres.

Segundo Suzanne Greenway,médica-legista do Hospital St. Pancras, encarregada da análise ao corpo de Amy Winehouse, não há qualquer dúvida relativamente à causa de morte: aquela quantidade seria suficiente para a matar.

O inquérito – divulgado pela imprensa inglesa – contou ainda com o testemunho do guarda-costas da cantora britânica, que vivia na casa onde Amy foi encontrada morta. Andrew Morris confessou que viu Winehouse deitada e pensou que estivesse a dormir.

Mais tarde, apercebeu-se de que a cantora estaria sem sentidos e chamou os serviços de emergência médica. Com este inquérito oficial, confirma-se a tese do pai de Amy, que sempre defendeu que a filha estava livre de drogas e que essa não seria a razão da sua morte.

A autópsia realizada não foi conclusiva, tendo sido necessários mais exames toxicológicos, que revelaram que, no dia em que morreu, a 23 de julho, Amy Winehouse consumira bebidas alcoólicas, sem que fosse possível determinar se havia relação esse facto e a morte da cantora. “O álcool estava presente no seu corpo, mas não se sabe se teve influência na sua morte”, revelou a família.

Os exames toxicológicos esclareceram, no entanto, uma grande dúvida: a cantora britânica não consumiu drogas, no dia em que foi encontrada morta, na sua casa, em Londres. “Os resultados enviados à família pelas autoridades confirmaram que não havia substâncias ilícitas no corpo de Amy, no momento da sua morte,” disse também a família. Com este inquérito oficial, chega a informação que restava e o fim dúvidas.

Mais partilhadas da semana

Subir