Mundo

Americano condenado a dois anos e meio por insultar Rei da Tailândia

preso_tailandesUm Tribunal da Tailândia condenou um cidadão norte-americano a uma pena de dois anos e meio de de prisão, por difamar o líder da família real, o Rei Bhumibol Adulyadej. Joe Gordon, de 55 anos, fez a tradução de trechos de uma biografia proibida no país e publicou os textos na Internet, o que foi considerado um insulto. A pena foi reduzida para metade, porque Gordon se declarou culpado.

De uniforme cor de laranja e com tornozelos acorrentados, o homem que cometeu o ‘crime’ de ter feito uma tradução de um texto que a Tailândia proíbe, ouviu a sentença num tribunal criminal de Banguecoque.

Joe Gordon, que nasceu na Tailândia, mas tem nacionalidade norte-americana, enfrentava uma pena que poderia atingir cinco anos. Mas declarou-se culpado e viu atenuada a pena, ditada pelo juiz Tawan Rodcharoen: dois anos e meio de prisão.

Gordon colocou na Internet ligação para a biografia proibida do Rei Bhumibol Adulyadej. O caso arrastou-se durante anos, em virtude da nacionalidade do cidadão e da sua residência (vivia no estado do Colorado). Surgiram dúvidas quanto à aplicabilidade da lei tailandesa, uma vez que o ‘crime’ (sempre com aspas) foi cometido por estrangeiros fora do território tailandês.

Este norte-americano decidiu declarar-se culpado para que a pena fosse reduzida, mas mantém a revolta. “Na Tailândia, as pessoas vão para a prisão, mesmo que não exista qualquer prova… É assim que funciona a Justiça”, revelou Joe Gordon, depois de conhecer o veredito, quando se encaminhava para a prisão, de onde sairá em junho de 2014.

A legislação contra ‘crimes’ que lesem o Rei, na Tailândia, são as mais duras do mundo. Quem difamar o rosto da monarquia incorre numa pena mínima de três anos, mas que pode chegar aos 15…

Mais partilhadas da semana

Subir