Nas Notícias

“Aldrabice do colesterol serve a indústria açucareira”, diz médico

Os portugueses estão perante uma grande mentira, sobre os (falsos) malefícios do colesterol, denunciada pelo médico Manuel Pinto Coelho, na TVI. O clínico fala em “mentira”, “farsa”, “trapalhada”, “falcatrua”, “aldrabice” e “fraude”, criados pela indústria açucareira, que “sacudiu a água do capote para as gorduras e o colesterol, quando o açúcar é o vilão”. Uma visão sustentada com factos e com uma pergunta que nos faz pensar: “O colesterol é formado no fígado, em 75 por cento. Acha que o fígado iria produzir alguma coisa que nos fizesse mal?”.

O médico Manuel Pinto Coelho, autor do livro ‘Colesterol: Mitos e Realidades’, esteve no programa ‘Você na TV’, da TVI, onde teceu considerações que contrariam uma verdade quase irrefutável: os alegados malefícios do colesterol.

O autor e clínico – que já tinha abordado este tema – colocou o dedo na ferida, mas, desta vez, apontou um culpado.

Há, do seu ponto de vista, interesses em criar um mito sobre os malefícios do colesterol: a indústria do açúcar: “Maravilha… O colesterol faz-me aquela máxima em Portugal em que se diz que ‘mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo’”.

Os portugueses estão perante uma grande mentira. E Manuel Pinto Coelho explica porquê: “O que é curioso nesta história é que foi o próprio mentiroso que se denunciou, como a maior fraude científica de todos os tempos, a maior trapalhada, a maior falcatrua”.

Manuel Pinto Coelho baseia a sua pesquisa num estudo sobre a matéria, realizado em 1941, onde os próprios autores confessaram mais tarde que a tese do colesterol era “uma aldrabice”.

“Tudo nasce de uma falsidade e eu denuncio essa falsidade”.

Numa altura em que Manuel Pinto Coelho já tinha o seu livro editado, soube-se que o governo norte-americano retirou o colesterol da lista negra dos nutrientes preocupantes.

Então, porque se criou este mito, esta mentira, aceite como verdade quase irrefutável mesmo pela comunidade médica portuguesa?

“Isto serve os interesses da indústria açucareira, que sacudiu a água do capote, para as gorduras e o colesterol, quando o açúcar é o vilão”

“O açúcar é que começa a provocar a lesão das artérias. Forma-se um tufo de miofibrilhas, ao qual se juntam fibrina, cálcio, ferro e o desgraçado do colesterol, como um bombeiro que acode ao incêndio”.

Manuel Pinto Coelho destaca que “o colesterol é essencial” e que “o mau da fita é o açúcar”.

“O colesterol é formado no fígado, em 75 por cento. Acha que o fígado iria produzir alguma coisa que nos fizesse mal?”, pergunta.

Tomar medicamento para baixar o colesterol – “o bisavô’ de todas as nossas hormonas – afeta, segundo o médico, “funções essenciais”.

E por que razão os médicos alertam os doentes para o mau colesterol?

“Cada vez menos médicos. E sabe porquê? Porque esse livro que tem na mão é prefaciado pelo presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia da Região Norte, professor Lopes Gomes. Quem me apresentou o livro foi o presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia da Região Centro, professor Polybio Serra e Silva”, conclui.

Refira-se, no entanto, que Manuel Pinto Coelho já foi alvo de um processo disciplinar da Ordem dos Médicos, por defender diversas teses consideradas polémicas e que não geram consenso na comunidade científica e médica. Refira-se também, por outro lado, que a indústria do açúcar pagou para ocultar um estudo com conclusões incómodas.

Veja aqui um excerto dessa entrevista do médico:

Mais partilhadas da semana

Subir