Hoje é dia

15 de novembro, morre a rainha D. Maria II, a ‘boa mãe’

Hoje é dia de recordar D. Maria II, rainha de Portugal de 1826 a 1853, que morreu em 1853. O seu cognome era ‘a educadora’, ou ‘a boa mãe’, dada a esmerada educação que dispensou aos seus muitos filhos. Também neste dia morre D. Manuel II, último rei de Portugal.

Adquiriu o cognome de ‘a educadora’ ou ‘a boa mãe’, em resultado do reconhecido empenho na educação dos filhos.

Maria da Glória Joana Carlota Leopoldina da Cruz Francisca Xavier de Paula Isidora Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança, conhecida como D. Maria II, nasceu no Rio de Janeiro, a 4 de abril de 1819. Foi a 31.ª Rainha de Portugal e dos Algarves, aquando da abdicação do pai, de 1826 a 1828 e de 1834 a 1853.

O seu reinado foi interrompido, em virtude do levantamento absolutista liderado pelo tio, noivo e regente, D. Miguel I, que se proclamou Rei de Portugal, no dia 23 de junho de 1828. Têm início então as Guerras Liberais, que se prolongaram até 1834, ano em que D. Maria II recupera o trono e D. Miguel acaba exilado na Alemanha.

Desde a primeira gravidez, aos 18 anos, D. Maria II teve graves problemas a dar à luz, como é exemplo o da terceira gestação, cujo trabalho de parto, doloroso, durou intermináveis 32 horas.

A paixão pela maternidade provocou gestações reiteradas, que por sua vez levaram à obesidade e a problemas cardíacos.

Os médicos aconselhavam-na a parar, mas a rainha respondia: “Se morrer, morro no meu posto”. E foi no seu posto que morreu, aos 34 anos de idade.

“A 15 de Novembro de 1853, à meia hora depois do meio dia. Sua Magestade a Rainha começou a sentir annuncios do parto às nove horas e meia da noite de hontem. Appareceram difficuldades no progresso do mesmo parto, as quaes obrigaram os facultativos a recorrer a operações, pelas quaes se conseguiu a extracção de um Infante, de tempo, que recebeu o baptismo antes de extrahido. O resultado destas operações teve lugar às dez horas da manhã. Desgraçadamente, passada hora e meia, Sua Magestade, exhausta de todas as forças, rendeo a alma a Deos, depois de haver recebido todos os sacramentos”, pôde ler-se, no Diário do Governo.

Nasceram a 15 de novembro Madeleine de Scudéry, escritora francesa (1607), D. Manuel II, último rei de Portugal (1889), Claus von Stauffenberg, coronel alemão da II Guerra Mundial (1907), Frederico George, arquiteto e pintor português (1915), e Anni-Frid Lyngstad, cantora norueguesa dos ABBA (1945).

Johannes Kepler, matemático e astrónomo alemão (1630), D. Maria II, rainha de Portugal (1853), Émile Durkheim, sociólogo francês (1917), Alfred Werner, químico francês (1919), Alice Liddell, inspiradora do livro Alice no País das Maravilhas (1934), Nathuram Godse, assassino de Mahatma Gandhi (1949), e Charles Thomson Rees Wilson, físico escocês (1959).

Hoje, assinala-se a Proclamação da República do Brasil.

Quer receber o Hoje é Dia todos os dias na sua caixa de correio?


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir