Hoje é dia

14 de junho, o Dia Mundial do Dador de Sangue

Hoje assinala-se o Dia Mundial do Dador de Sangue, como homenagem a um ato nobre, na defesa da saúde humana. “Doar sangue é salvar uma vida”. Há frases que dispensam mais palavras. Também a 14 de junho recorda-se Alzheimer, o psiquiatra que reconheceu a doença que viria a ser batizada com o seu nome.

Doar sangue é um procedimento simples, rápido, sigiloso e seguro. É também uma ação de genuína solidariedade, que merece ser reconhecida, neste 14 de junho, o Dia Mundial do Dador de Sangue.

Neste dia, ao mesmo tempo que se homenageiam os dadores, alerta-se para a necessidade crescente de recolha, em virtude do decréscimo que se tem verificado nos últimos anos.

Também hoje, assinala-se o nascimento de Aloysius Alzheimer, a 14 de junho de 1864. Este psiquiatra alemão gravou o seu nome na História por se tornar no primeiro a reconhecer uma doença neurodegenerativa, que viria a ser batizada com o seu nome.

Em 1901, Aloysius Alzheimer descobriu de que modo a doença agia no córtex humano, o que representou uma enorme descoberta. Viria a morrer em Breslau, a 19 de dezembro de 1915.

Nasceram neste dia Charles Augustin de Coulomb, físico francês (1736), Alois Alzheimer, médico alemão (1864), Maria Romanov, grã-duquesa russa (1899), Fernão de Ornelas, político português (1908), e Che Guevara, médico e revolucionário argentino (1928).

Nasceram ainda Manuel Vásquez Montalbán, escritor espanhol (1939), Boy George, músico britânico (1961), e Steffi Graf, ex-tenista alemã (1969).

Morreram neste dia Johan Svendsen, compositor, maestro e violinista norueguês (1911), Max Weber, sociólogo alemão (1920), Salvatore Quasimodo, escritor italiano, Nobel da Literatura (1968), e Esbjörn Svensson, pianista sueco (2008).

Quer receber o Hoje é Dia todos os dias na sua caixa de correio?


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir