Hoje é dia

13 de agosto, nasce Fidel Castro, revolucionário comunista

Assinala-se hoje mais um aniversário de Fidel Castro, o ‘eterno’ presidente de Cuba, acusado da violação de direitos humanos e, ao mesmo tempo, responsável por uma obra humanitária reconhecida em todo o mundo.

Fidel Castro nasceu em Birán, 13 de agosto de 1926. Foi um revolucionário comunista cubano, primeiro presidente do Conselho de Estado da República de Cuba (1976-2008). Até 2006, acumulou o cargo de primeiro-secretário do Comité Central do Partido Comunista de Cuba.

Castro nunca foi eleito através de eleições diretas e no seu regime ditatorial não permitiu a criação de partidos de oposição, nem liberdade de imprensa – Cuba é considerado um dos países do mundo com mais restrições à liberdade de imprensa. O governo que liderou mereceu fortes críticas da comunidade internacional, em virtude de violações de direitos humanos.

Apesar destas manchas na liderança de Fidel Castro, a verdade é que foi durante o seu governo que Cuba conseguiu os maiores índices de crescimento e de desenvolvimento humano e social.

Por outro lado, o executivo do eterno líder cubano está ligado a diversas vitórias, como a menor taxa de mortalidade infantil da América, a erradicação do analfabetismo e o combate firme à subnutrição infantil, o tratamento gratuito de dezenas de milhares de vítimas do acidente nuclear de Chernobyl, a participação na luta pelo fim do Apartheid em África do Sul, ou a formação de médicos para Timor Leste.

A 19 de fevereiro de 2008, Castro anunciou ao jornal do Partido Comunista, o Granma, que não se recandidataria ao cargo de Presidente de Cuba, cinco dias antes de terminar o mandato.

Líder e secretário-geral do partido desde 1965, data da sua fundação, a 19 de abril de 2011, Fidel (que já cedera o cargo de presidente em 2006) foi substituído pelo irmão, Raúl Castro, como secretário-geral do Partido Comunista Cubano, retirando-se oficialmente da vida política.

Morre a 26 de novembro de 2016, aos 90 anos.

Nasceram a 13 de agosto Vladimir Odoevsky, filósofo e escritor russo (1803), Giovanni Agnelli, industrial italiano, fundador da FIAT (1866), Richard Martin Willstätter, químico alemão e Nobel de Química (1872), Carlos Malheiro Dias, jornalista e historiador português (1875), Alfred Hitchcock, realizador britânico (1899), Frederick Sanger, bioquímico inglês e Nobel de Química (1918), Fidel Castro, revolucionário e político cubano (1926), Paul Greengrass, realizador britânico (1955), e Édouard Michelin, engenheiro francês (1963).

Morreram a 13 de agosto Antonio Palomino, pintor espanhol (1726), Francisco de Matos Vieira, pintor português (1783), Eugène Delacroix, pintor francês (1863), Hermann Carl Vogel, astrónomo alemão (1907), Jules Massenet, compositor francês (1912), August Ferdinand Bebel, político alemão (1913), H. G. Wells, escritor britânico de ficção científica (1946), e António de Spínola, militar e político português (1996), e Emídio Rangel, jornalista português (2014).

Quer receber o Hoje é Dia todos os dias na sua caixa de correio?


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir