Hoje é dia

10 de novembro, nasce Cunhal, histórico líder comunista

Hoje é dia de recordar Álvaro Cunhal, que nasceu em Coimbra, a 10 de novembro de 1913. Escritor português, Cunhal tornou-se célebre pela resistência ao Estado Novo e pela sua luta pela liberdade e pelo ideal comunista.

Apesar de ser natural da cidade de Coimbra, mudou-se para a capital com a família e concluiu a formação na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde iniciou a sua atividade revolucionária.

Em 1931, com 17 anos, filia-se no Partido Comunista Português (PCP) e integra a Liga dos Amigos da URSS e o Socorro Vermelho Internacional.

Três anos mais tarde, torna-se representante dos estudantes no Senado da Universidade de Lisboa. E no ano seguinte, chega a secretário-geral da Federação das Juventudes Comunistas.

A sua atividade política e cívica era intensa, até que em 1936 é cooptado para o Comité Central do PCP, depois de uma visita à então URSS.

A escrita era a sua maior paixão e, por isso, desde muito jovem colaborou com alguns jornais, como O Diabo, a Seara Nova, algumas publicações clandestinas do PCP, o Avante e O Militante, onde também assina diversos artigos de intervenção.

Os ideais comunistas e oposição ao Estado Novo levaram-no à prisão, em 1937, 1940 e entre 1949 e 1960.

Foram 13 anos de reclusão, oito dos quais em total isolamento. Cunhal foi torturado, mas manteve o silêncio da sua inocência.

E foi na prisão que se dedicou à escrita ainda com maior intensidade, rubricando diversos trabalhos, como a tradução e ilustração da obra Rei Lear, de William Shakespeare. Até que no dia 3 de janeiro de 1960, Cunhal e alguns camaradas comunistas levam a cabo a célebre “fuga de Peniche”, que resultou de um plano perfeito.

Entre 1961 e 1992, foi secretário-geral do PCP, sucedendo a Bento Gonçalves, até ser substituído por Carlos Carvalhas. Em 1962, enviado pelo partido para Moscovo e para Paris. Regressa a Portugal com o 25 de Abril de 1974 e comemorou com Mário Soares a conquista da Democracia.

Foi ministro sem pasta em governos provisórios e deputado à Assembleia da República, entre 1975 e 1992. Foi ainda conselheiro de Estado.

Em 1995, revela a sua obra, que escreveu sobre o pseudónimo de Manuel Tiago.

Álvaro Cunhal morre a 3 de junho de 2005, em Lisboa, e é recordado hoje.

Nasceram a 10 de novembro François Couperin, compositor e músico francês (1668), Andrei Tupolev, designer de aviões ucraniano (1888), e Álvaro Cunhal, político português (1913).

Nasceram ainda Ernst Otto Fischer, químico alemão (1918), Mikhail Kalashnikov, inventor russo da arma AK-47 (1919), Ennio Morricone, compositor e maestro italiano (1928), Luiz Sérgio Coelho de Sampaio, filósofo e autor brasileiro (1933), Miguel Cadilhe, político e economista português (1944), e Greg Lake, músico britânico (1947).

Morreram neste dia Arthur Rimbaud, poeta francês (1891), Leonid Brejnev, secretário geral do Partido Comunista da União Soviética (1982), e Mário Schenberg, físico, político e crítico de arte brasileiro (1990).

Morreram também Louis Nizer, escritor britânico (1994), Miriam Makeba, cantora sul-africana (2008), e Robert Enke, futebolista alemão (2009).

Quer receber o Hoje é Dia todos os dias na sua caixa de correio?


Vídeos em Destaque

Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir